Curtir
Compartilhar

Antônio Abreu do Valle nasceu em 14 de julho de 1913, em Santa Maria, Portugal. Sua vinda para o Brasil aconteceu em dezembro de 1929, oportunidade em que se mudou para Tabapuã na casa de um tio, que já possuía fazenda em Sebastianópolis do Sul.

Casou-se em 1934 com Conceição Fernandes de Abreu, que completa 102 anos no próximo mês. Tem nove filhos, um in memoriam. Dezenove netos. Vinte e sete bisnetos e uma tataraneta.

Um dos filhos, José Abreu do Valle, nos ajudou a contar a história do Senhor Antônio.

Senhor Antônio foi para Sebastianópolis do Sul em 1941 para morar na fazenda de seu tio. “Quando ele chegou, era povoado, mas ele não se envolveu na vida política. No entanto participou da fundação de Sebastianópolis do Sul, junto com o Júlio do Valle, que tinha fazenda aqui desde 1906”, conta o filho.

Durante a sua vida em Sebastianópolis, Abreu ajudou na Igreja, inclusive foi presidente da Igreja, era o mecânico do município, pois na época não tinha oficina, mas tudo que quebrava era levado para ele consertar.

Ajudou a trazer muitas mudanças de Tabapuã para Sebastianópolis do Sul. Ajudou a abrir a Estrada que liga o município a Cosmorama, em 1942. “Trabalhei muito nas estradas”, afirma Abreu.

“Quando eu era prefeito, ele ajudava a construir pontes, mata-burros. Na época do Frederico Raia ele também ajudou, além disso, trabalhou muito na roça”, destaca o filho. Na época em que o prefeito do município era o Jessé Henrique de Carvalho foi dado o nome de Vicinal Antônio Abreu do Valle para o trecho de 11 km até chegar ao Rio São José. A estrada que liga o município a Votuporanga.

José Abreu do Valle nasceu em 29 de julho de 1935, em Tabapuã. “Vim pra cá com 5 anos e meio. Morávamos na fazenda do tio do meu pai e trabalhávamos por lá”, afirma. Estudou na escola em Cosmorama até o 4º ano do primário. Ajudava a lidar com gado e trabalhar com trator na fazenda. Mudou-se para a cidade em 1950, época em que trabalhou na Casa São Jorge como balconista durante sete anos. Nesse meio tempo Sebastianópolis passou a ser distrito de Monte Aprazível em 1954.

“Fiz uma venda de secos e molhados (mercearia) por minha conta. Vendi e coloquei outra. Depois comecei a tocar roça, 150 alqueire, arrendava terreno e tocava roça de arroz, milho e algodão. Recebi de herança do meu sogro 12,4 alqueires de terra e tocava o sítio com café e depois laranja”, lembra. Ainda na parte rural, montou máquina de café no sítio em 1979 e em 1980 montou outra na cidade. “Depois o café acabou na região e montei uma máquina de lavar laranja, até vendermos. Fiquei trabalhando com embalagens para laranja e limão, nisso eu trabalho até hoje”, conta José Abreu.

Política

José Abreu do Valle foi vereador em Monte Aprazível, quando era distrito. “Sebastianópolis do Sul passou a ser município em 1965, com participação minha e do Frederico Raia e nessa oportunidade fui vereador aqui por quatro anos e o primeiro presidente da câmara”, conta.

Foi também o segundo prefeito do município, de 1969 a 1973. “Não tinha nada, estava começando ainda, conseguimos a luz pra cá, inaugurada em 22 de dezembro de 1970”, destaca.

Durante seu mandato também trouxe o Posto de Saúde, correio, fez ponte para Cosmorama, Votuporanga, abriu estradas. “Avançou bem o município. Compramos motoniveladora, pá carregadeira, condução”, enumera José Abreu.

“Fiz muito na política e não penso em voltar mais”, diz José Abreu. Ele ainda destaca seu orgulho pelo município. “A gente sempre faz por onde ajudar, sempre morei aqui, tenho bens aqui e se Deus quiser sempre vou morar aqui”, conclui.

Família

Casou-se em 15 de setembro de 1956 com Ana Maria Casado Abreu. Tem quatro filhos: Maria Aparecida, Maria do Carmo, Maria Conceição e José Antônio (prefeito do município por duas vezes), dez netos e uma bisneta.